Então essa amiga que passa por momentos bem complicados na vida entra no elevador e traz um cigarro nas mãos.

E uma outra amiga que já estava no elevador, e não é uma desamiga enxerida, é amiga boa, com a melhor das intenções, interpela:

– Mas Fulana, você voltou a fumar? Não acredito!

A Fulana começou a fabricar uma feição de justificativa, mas antes que ela começasse a falar, eu interrompo:

– Fuma sim, Fulana! Fuma, enche a cara, faz o que você quiser. Porque a vida é difícil e a gente faz o que precisa pra continuar.

A gente tenta ser Joana D’arc e levar a vida na base da coragem e do estoicismo.

Mas às vezes a gente só precisa… fazer o que a gente precisa.

 

Anúncios