“But maybe it’s a false alarme. And every answers sounds the same. Just colours bleeding into one. It hasn´t got a name. Maybe I can’t see. Maybe it’s just me.”

Tudo o que a gente quer é que seja um alarme falso. Que seja só um dia ruim. Só uma indisposição. Só o estresse do trabalho, só os rumos da política nacional, só a falta de uma boa noite de sono, uma boa garrafa de vinho, uma boa trepada.

E pode ser. Mas pode não ser. E se você for de alguma forma uma pessoa neuroatípica você jamais poderá se dar ao luxo de sentar e esperar pelo melhor.

Eu queria ter essa boa notícia para te dar, mas eu já internei dois pacientes com transtorno bipolar severo, tenho um sem números de amigos com depressão e convivo com a ansiedade desde que eu me entendo por gente (apesar de só ter compreendido isso há um ano) e nenhuma dessas coisas vai embora pra sempre quando você se estabiliza de uma crise. Abrace a sua condição, tome quantos cafés seja preciso na companhia dela, até que você a conheça de cima a baixo. Procure saber suas motivações, seus gatilhos, seus limites, de quem ela gosta e de quem ela não gosta, porque assim talvez você consiga evitar que ela faça entradas triunfais e constrangedoras naquele momento em que você menos precisa.

E não ignore sinais.

Há algumas semanas, eu comecei a experimentar uma estranha sensação de vazio que não era a exaustão característica do esgotamento que a ansiedade provoca em mim de tempos em tempos. Era outra coisa. Coincidentemente, os sintomas começaram a aparecer justamente na semana em que eu comecei a tomar um composto fitoterápico receitado por uma nutricionista. Como eu estava atenta, da suspeita à ação, não se passou uma semana e com o remédio suspenso, o vazio desapareceu. O que teria acontecido se eu tivesse ignorado a minha intuição?

Eu bebo, fumo um cigarro ocasionalmente, adoro uma festa e não pretendo abandonar nenhuma dessas coisas, já que até o momento, eu não pareço precisar de uma mudança radical. Mas eu sei que dias seguidos de alcool e noites mal dormida desregulam completamente o meu controle da impulsividade e nos dias seguintes à farra eu estarei comendo mais, gastando mais dinheiro, tomando atitudes impensadas, procrastinando obrigações, roendo as unhas…

Saber não necessariamente vai te ajudar a evitar. Nossas mentes são danadinhas nessa brincadeira de arrumar subterfúgios. Mas é essencial para que a gente consiga controlar danos, evitar problemas maiores, e o mais importante: não se desesperar.

Condições mentais têm uma fome voraz por desespero. E culpa. E taí um combustível que a gente costuma ter de sobra pra queimar. De repente você está bem, e no dia seguinte não está mais. E você deseja tanto tanto tanto nunca mais passar pelos piores momentos da sua condição que você se desespera, apenas por contemplar a possibilidade de se afogar naquela lama de novo. Mas abandonar o pouco de racionalidade preservada não parece uma boa coisa pra quem tem depressão ou ansiedade, certo?

Mas nada disso é uma garantia vitalícia completamente a prova de desgraças. Simplesmente porque a gente vive no mundo real. Que pra maioria das pessoas não é nenhum bolinho Pullman.

No meio dessa bagunça você vai fazer alguma coisa eventualmente (ou muitas coisas com considerável frequência) que é o exato oposto do que você gostaria. Mas saiba que mesmo que você pudesse voltar no tempo e modificar isso, você provavelmente apenas criaria uma realidade paralela, e essa versão de você que você está detestando nesse exato momento continuaria existindo e fazendo merda nessa linha temporal onde estamos. O que significa que você tem razões científicas pra não se deixar consumir pela culpa. Ou pelo menos tentar. Porque literalmente nada pode ser feito.

Pode parecer meio megalomaníaco uma pessoa ferrada como eu aparecer aqui te dando conselhos. Ou talvez eu esteja escrevendo esse texto uma hora da manhã, enquanto tomo um Campari, depois de ter passado um dia inteiro sem conseguir botar o pé pra fora de casa enxergando tudo cinza.

Mas pelo menos eu sei que é estranho. Ó como eu já evoluí.

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios