“E porque estão dizendo que é estupro?” Eu ouvi essa pergunta hoje, sobre o caso do Big Brother. Nem me surpreendi, só respondi de pronto: “Porque toda relação sexual sem consentimento é estupro”. Por um segundo cheguei a pensar: “Mas isso é óbvio!” e então eu me dei conta de que não é. Deveria ser, mas não é. A gente precisa aceitar isso se quiser mudar as coisas: grande parte das pessoas não entende o be-a-bá sobre abuso sexual. Deveria ser óbvio. Mas não é.

Toda vez que eu me deparo com uma situação dessas, eu me lembro de um texto magnífico que eu li da Marjorie, que explica, em minhas palavras, o seguinte: nenhuma pessoa pode ser obrigada a fazer sexo contra a sua vontade, correto? Essa é uma verdade incontestável, e duvido muito que alguém vá discordar, colocando-se nesses termos. Mas, por incrível que pareça, se essa pessoa for uma mulher, que esteja bêbada, milhares chegarão para dizer que ela mereceu. Faz sentido, isso? Uma mulher bêbada é menos “pessoa” do que as outras pessoas?

Claro que a maioria das pessoas que pensam que a mulher bêbada/com roupas curtas/que sai sozinha/que vai a festas/que transou antes do casamento/insira aqui sua concepção machista sobre coisas que uma mulher não deve fazer  são machistas, misóginos e aquele combo delicioso que a gente já conhece bem. Mas tem uma parte das pessoas, como a pessoa que me fez a pergunta, por exemplo, que é machista por tabela, digamos assim, porque ouviu esse discurso de vilanização da mulher a vida inteira e nunca parou pra pensar que ó, as mulheres não são estupradas porque agem de certas formas que propiciam o estupro, mas sim, porque um homem as estuprou. Uma galera que não entende mesmo o be-a-bá da violência sexual. E  pra além de tentar botar os Sanctos e a sua galerinha na cadeia, a gente que se predispõe a  combater o machismo, precisa se preocupar com isso. Precisa esquecer que tudo isso PRA GENTE é óbvio. E lembrar que o que deveria ser óbvio para o mundo, na verdade não é.

Então, voltando para o começo, sem minúcias legais que não é a minha praia: a) Porque o caso do BBB é um estupro? Porque o vídeo mostra claramente que a Monique estava apagada e sem qualquer condições de consentir com o ato sexual e todo ato sexual feito contra a vontade de uma das partes envolvidas configura-se como um estupro.

b) Mas se ela não queria correr esse risco, ela não deveria ter bebido. Beber ou não beber é uma decisão individual dela que nada tem a ver com a sua disposição para o sexo. Ela bebeu, porque quis beber, e sendo a única pessoa com direito sobre seu próprio corpo, ela tem total liberdade para beber o quanto quiser, já que o consumo de bebidas alcoolicas não é proibido no Brasil. Além do mais, se ela fosse um homem e tivesse bebido, isso daria direito a outros homens de estupra-lo?

c) Mas se ela já havia ficado com ele antes, isso não dá liberdade pra ele ter “trocado carícias” com ela depois? Nenhum tipo de relacionamento pressupõe obrigações sexuais de nenhuma das partes. Graças a Deus, hoje, até o estupro do marido contra a mulher é passível de punição pelas leias brasileiras. Pelo simples motivo de que nenhuma pessoa pode decidir sobre o uso sexual do corpo de outra pessoa, não interessa se elas estão em uma relacionamento amoroso. Novamente, o vídeo mostra claramente que Monique não tinha qualquer condições de aceitar uma relação sexual e, mesmo que em momento anterior ela tenha se mostrado predisposta a tal, é visível que naquela momento não era isso o que ela queria.

Ao que parece, a grande visibilidade do caso serviu ao menos para uma coisa: a polícia já abriu inquérito para investigar o estupro e, inclusive, já foi até a casa do Big Brother colher o depoimento de Monique. Vamos acompanhar para ver como o caso se desenrola. Já que o Big Brother é o grande jogo da vida real, espero que pelo menos lá o estupro tenha punição, pelas milhões de Moniques abusadas diariamente no mundo inteiro e que, infelizmente, por abordagens machistas como as que surgiram depois que o caso veio a tona,  não veem justiça.

Anúncios