1- O rapaz descobre que não pode comprar mais um dose de uísque com energético porque seu cartão de consumo já chegou ao limite estabelecido pela casa. Ele abre a carteira e mostra algumas notas de 100 e cinquenta reais, perguntando o que pode ser feito. Como oferecer suborno para conseguir uma coisa que você pode conseguir de graça (é só solicitar que a gerência da casa aumenta o limite) é uma coisa estranha ao meu ver, só posso crer que ele queria mesmo era mostrar o quanto era 350 reais rico. Não precisava

 

2 – A mocinha reclama com toda a razão que a mesma bebida tem preços diferentes em dois cardápios. Pela lei que assegura os direitos do consumidor, ela tem que pagar pelo preço menor. Mas, a outra mocinha, a que serve a bebida, não pode fazer nada, ela só lança o consumo no sistema, e então, aconselha a primeira mocinha a procurar o gerente. E como se ninguem tivesse dito nada, a mocinha se levanta e diz que é advogada, que sabe do que está falando. E ainda vai buscar uma amiga que estava na pista, e volta dizendo “Agora, são duas advogadas.” Ok, e eu não sou juíza, somente uma bargirl. Estudante de comunicação, estagiária em uma rádio, componente de uma projeto de pesquisa e garçonete nas horas vagas. Mas juíza, não, definitivamente. Direito é direito. Não precisava.

 

3 – Os rapazes da tequila, depois de todo o pinta e borda, ainda voltam pedindo novamente a caneta emprestada. Ser educada, ser irônica, ou enfiar a caneta no buraco do nariz do indivíduo? Decisão difícil. Para evitar maiores constrangimentos (ou uma demissão) opto pelo monissilábica. “Não.”  Ele volta dali a quinze segundos com a DONA DA BOATE a tiracolo. “Claro, querida chefe, eu empresto a caneta, se você fizer a finesse de aumentar em cinco reais o meu salário para que compre outra depois que ele terminar de estragá-la”. Só pensei. Tanto trabalho para continuar pintando o torço sarado de seus amiguinho com a minha velha companheira de Deleuzes e Negris. Não precisava. 

_42495227_twiggy66ap416

Precisava disso? Acho que Twiggy concorda comigo.

Anúncios