trevode4folhasat22Sorte é que nem braço, algumas pessoas não têm. Eu, por exemplo sou totalmente desprovida nesse quesito. Tanto que quando algum golpe de sorte me acontece, por mais insignificante que seja, eu comemoro como se tivesse acertado na Sena.

Essa semana estava eu lá, equilibrando bandeja, quando me deparo com uma nota de dez reais (queria que fosse vinte, só para eu poder dizer “fintche reaaais”) abandonada, sozinha, perdida no chão. Como alguns clientes estavam por perto, eu resolvi perguntar se não foi algum deles que tinha deixado cair. Resposta negativa de todos, fui eu comemorar toda pimpona o meu achado.

Azar número 1: no meio da comemoração acabei comentando com o meu gerente, que simplesmente retirou a nota de meu poder, para dividir com a galera.

Tudo bem. Dividindo com os outros sete garçons, mais o gerente, eu ainda levo, sei lá, 1 real e 11 centavos. Como todo mundo está na mesma pindaíba que eu, até que, depois que a decepção passou, eu aceitei dividir de bom grado a grana, que foi encaminhada junto com as outras gorjetas para o pote de vidro que fica sobre a bancada do caixa.

Azar número 2: Vou eu lá pegar a conta de um cliente no caixa, quando percebo que só haviam moedas no tal pote. Saio exasperada perguntando “Gente! Cadê a nota de 10 reais?”. Ao que o gerente responde: “Ué! Tá no pote!”

Conclusão: vocês acreditam que um maldito cliente teve a safadeza de roubar a gorjeta dos garçons? Não dá vontade de bater numa pessoa dessa com um gato morto até ele miar?

Anúncios