Essa noite eu dormi totalmente nua e gostaria dizer que foi por algum motivo poético, como por estar nua por dentro. Mas a verdade é que eu não consegui encontrar nenhum dos meus pijamas, o que é um motivo nada figurativo. O fato é que eu estava tão cansada que sequer mudei de posição durante o sono, de forma que acordei com toda a parte esquerda do corpo lindamente marcada pelas dobras do lençol. Uma multidão de sulcos rizomáticos. O que me lembra que estou em falta com Delleuze e Negri. O bom de eu estar diminuindo meu ritmo de trabalho braçal é que poderei voltar a ler com a frequência anterior: dois livros de literatura, um de teoria por semana, como manda o bom letramento.

Anúncios