Nessa semana que se passou, eu fui duas vezes ao cinema e vocês não imaginam o bem que isso fez para a minha alma. Audiovisual é uma das minhas paixões, o que significa que eu sou capaz de trocar algumas coisas só para ficar ali 90 minutos sendo absorvida por outra realidade.

As realidades dessam semana guardam a semelhança de terem sido angustiantes e extremamente prazerosas, apesar de serem díspares em quase tudo. Na segunda, eu vi Ensaio sobre a Cegueira, sobre o qual já comentei aqui e na sexta, Encarnação do Demônio, o novo do Zé do Caixão. É a primeira vez que eu vejo uma obra do José Mojica e digo que gostei da sensação única de rolar de rir enquanto alguém estirpa outra pessoa na tela. O cinema trash caiu ainda mais nas minhas graças. Mais eu não tenho para dizer, pois ainda estou coberta pela vergonha de sequer ter visto Grind House, situação que eu pretendo corrigir em breve.

Anúncios