40 horas dentro do ônibus é tempo suficiente para se pensar em muita coisa. Incrível como apenas duas passavam pela minha cabeça: o quanto eu estava fudida de grana e o que diabos eu vou fazer da minha vida quando a universidade estiver finda, em meados do ano que vem.

Ver a Ivana Bentes em uma das nossas saídas durante o Intercom em Natal só me trouxe uma coisa à mente: preciso de uma epifania! Eu tenho menos de um ano para fazer uma monografia foda, ter uma idéia foda de projeto de mestrado para fazer aquela mulher meio rocker daquela cadeira ali me aceitar na UFRJ. A academia é deveras cruel. Sem contar a Flávia aqui do meu lado, com sua pesquisa extremanete sólida e sua disciplina metódica, sonhando com a Ivana Bentes tanto quanto eu. Tudo o que eu queria é que aterrisássemos nós duas felizes da vida, no Rio de Janeiro em 2010, prontas para nos transformarmos em super teóricas da comunicação. É possível isso?

Não menos do que apropriadamente, estava tocando Dream’on do Aerosmith no mp3. “Dream’on. Dream until your dreams come true”, martelava na minha cabeça, em especial pela oposição com uma dessa frases famosas de msn, que alguém em alguma época da humanidade atribuiu a um pensador famoso e que diz mais ou menos assim: para realizar os seus sonhos é preciso primeiro acordar. E agora, José?

Anúncios