Existe um dia todos os meses em que acredito fielmente no criacionismo. Ai de quem me disser no primeiro dia da minha menstruação, que Adão e Eva nunca existiram, e que menstruar e parir não são castigos de Deus por termos dado ouvidos ao Diabo e desobedecido suas ordens. Afinal de contas, Deus nos deu o paraíso e pediu apenas que não fizéssemos perguntas. Olhando por esse ângulo, Deus me parece muito com Getúlio Vargas. Adcionadas as barbas longas e brancas é claro.
Sempre me pergunto se falar assim de Deus seria blasfêmia. Segundo pessoas próximas, a blasfêmia é o único pecado sem perdão, e dentro dela está incluído falar mal do pastor, o ungido de Deus. Pensando bem agora não tem mais volta, eu já estou destinada ao fogo do inferno. Preciso admitir que chamei Sônia Hernandes de vaca e aquele pastor lá de Brejetuba, que estuprava as fiéis a torto e a direito, de filho da puta e outras coisas, que o horário da postagem não me permite escrever.
Anúncios