Casca vazia

Um dia desses eu andei de bicicleta!
E depois de muito tempo, senti um gostinho de infância
e um aroma de cidadezinha interiorana
que nenhuma independência ou grande município podem superar…

Acho que estou com saudade…
Das casas com quintal e das ruas de paralelepípedos,
Dos vizinhos que se conhecem e se emprestam açúcar,
Da igualitária horizontalidade vencida pela lucrativa verticalização.

Hoje meu mundo se constrói pelo mundo dos outros…
Um apartamento ao lado e eu não posso gritar…
Um vizinho de baixo e eu tenho que pisar delicado…
Uma greve de motoristas e não se vai mais a lugar algum…

E consiste na inexistência de alguém…
Um único prato na mesa…
Uma novela inteira sem comentários…
Entrar e sair de uma casa vazia…

Talvez eu seja uma casa vazia.
E estou em busca de novos moradores…
Que façam bagunça no meu estômago,
troquem idéias no meu cerébro
e se reúnam no meu coração…

Meu corpo precisa ser povoado!
Alguém mais se candidata?

Anúncios